sexta-feira, 5 de outubro de 2018

EXPOSIÇÃO " DO FIM DA MONARQUIA À 1.ª REPÚBLICA"

No âmbito da comemoração do 5 de Outubro e do 108.º aniversário da implantação da República, em Portugal, a professora  de História, Paula Santos Mendes, solicitou aos alunos das turmas 9.º D e 9.º F, que realizassem trabalhos sobre os fatores que conduziram à implantação da República, os principais acontecimentos da Revolução Republicana e novos símbolos adotados.


Estes trabalhos foram expostos no átrio da Biblioteca Escolar da EB D. Carlos I, para relembrar a importância deste acontecimento para a nossa identidade cultural, participação cívica e democrática.















terça-feira, 2 de outubro de 2018

O presente concurso insere-se no âmbito das comemorações do MÊS INTERNACIONAL DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES e destina-se aos alunos do 2.º e 3.º ciclos e ao 3.º e 4.º anos do 1.º Ciclo do Agrupamento D. Carlos I e decorre até ao dia 31 de outubro de 2018. 

O texto – que não deverá exceder uma página A4 – a apresentar nas Bibliotecas Escolares do AE D. Carlos I terá de ser obrigatoriamente subordinado ao tema “AMIGOS DE 4 PATAS”. Os três primeiros lugares receberão um diploma pela sua participação. O/a vencedor/a de cada ciclo de ensino receberá um espetacular prémio surpresa! Os participantes terão ainda a possibilidade de participar num encontro com os patudos da Associação EntreGatos.

Em todo o mundo, o mês de outubro é aproveitado para reforçar a visibilidade das Bibliotecas Escolares e a consciencialização acerca do seu valor nas aprendizagens. A International Association of School Librarianship (IASL) propôs, como anualmente faz, um tema aglutinador – WHY I LOVE MY SCHOOL LIBRARY –, sendo todo o mês de outubro amplamente celebrado pelas Bibliotecas Escolares. 

O presente concurso insere-se no âmbito destas comemorações e destina- se aos alunos do 1.º e 2.º anos do 1.º Ciclo bem como ao segundo e terceiro ciclos do Agrupamento D. Carlos I e decorre até ao dia 31 de outubro de 2018. Os melhores trabalhos serão publicados nos Blogs das Bibliotecas Escolares do AE D. Carlos I. O 1.º lugar vencedor de cada ano de escolaridade recebe ainda um espetacular prémio surpresa e um diploma emitido pela Biblioteca Escolar D. Carlos I.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

"WHY I LOVE MY SCHOOL LIBRARY" é o tema definido pela International Association of School Librarianship (IASL) para o Mês Internacional da Biblioteca Escolar (MIBE) 2018.


Vejam aqui o que as Bibliotecas Escolares do Agrupamento D. Carlos I estão a preparar para este mês tão especial:


domingo, 1 de julho de 2018

PLANO NACIONAL DE CINEMA NA BECRE D. CARLOS I

Pelo terceiro ano consecutivo, a Biblioteca Escolar D. Carlos I participou no Plano Nacional de Cinema. 

O Plano Nacional de Cinema (PNC) está previsto como um plano de literacia para o cinema e de divulgação de obras cinematográficas nacionais junto do público escolar e pretende formar públicos escolares, despertando nos jovens o hábito de ver cinema, bem como valorizá-lo enquanto arte junto das comunidades educativas.


O Plano Nacional de Cinema é uma iniciativa conjunta da Presidência do Conselho de Ministros, através do Gabinete do Secretário de Estado da Cultura, e do Ministério da Educação e Ciência, pelo Gabinete do Secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, e operacionalizado pelo Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), pela Cinemateca e pela Direção-Geral da Educação (DGE). 

No Agrupamento D. Carlos I, e sobretudo na Biblioteca Escolar, temos como missão a promoção das várias literacias: da leitura, da informação e dos media e acreditamos que um programa para a literacia do cinema junto dos nossos alunos ajudaria a consolidar essa missão. A BECRE D. Carlos I associa-se assim às iniciativas de aplicação da Nova Lei do Cinema que preveem a divulgação de obras cinematográficas de importância histórica, e em particular das longas-metragens, curtas-metragens, documentários e filmes de animação de produção nacional.
Também, a educação para a cultura cinematográfica, possível através do desenvolvimento deste programa, continuará a ser uma boa estratégia para promover o trabalho articulado entre a Biblioteca Escolar e os Docentes, com vista ao planeamento e ensino contextualizado das literacias da informação e dos media nos objetivos e programas curriculares, e para explorar a natureza, linguagem e discurso deste medium e as implicações individuais e sociais do seu uso.


 Deste modo, e no âmbito deste projeto, a Coordenadora do PNC a nível de escola dinamizou no ano letivo de 2017-18 treze sessões sobre literacia fílmica, a saber: 11 de janeiro (9.º A); 19 janeiro (9.º D); 25 Janeiro (5.º A + 5.º C); 31 janeiro (9.º E); 1 de fevereiro (5.º D); 15 fevereiro (9.º G); 15 fevereiro II (9.º G); 16 de fevereiro (9.º F); 20 de fevereiro (9.º B); 21 de fevereiro (EAH2); 22 de fevereiro (AFAC1); 23 fevereiro (9.º F); e 15 de março (AFAC1). 

Ainda, nos dias 9 de março e 4 de maio de 2018, foram realizadas duas sessões sobre literacia fílmica no Estabelecimento Prisional de Sintra para os alunos dos Cursos de Educação e Formação de Adultos. 

É convicção da Equipa PNC, que a implementação deste projeto contribui não somente para a gestão e uso pessoal da informação, como contribui também inequivocamente para o desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.  

quarta-feira, 20 de junho de 2018

OFICINA DE CINEMA DE ANIMAÇÃO NA BECRE

No âmbito das atividades do Plano Nacional de Cinema, desenvolvido na Biblioteca Escolar D. Carlos I desde 2015/16, os alunos do OKUPA foram convidados a participar numa Oficina de Cinema de Animação, tendo a mesma decorrido nos dias 19 e 20 de junho de 2018.


A primeira sessão iniciou-se com uma abordagem teórica dos princípios básicos da animação. Como o próprio nome indica, “animar” significa dar vida e a animação é uma técnica que transmite a aparência de movimento a imagens ou objectos imóveis. Existem incontáveis formas de fazer animação e os materiais podem ir desde desenhos, bonecos de papel, fotografias, objetos inanimados ou as versáteis personagens moldadas em plasticina.




O efeito de animação acontece ao mostrar rapidamente uma série de imagens estáticas, os chamados “fotogramas”. Não reparamos nos espaços entre as imagens porque o nosso cérebro preenche esses intervalos, fazendo o movimento parecer contínuo. Assim, em vez de vermos uma mera sequência de fotogramas isolados, vemos imagens que ganham vida.

No início do século XX, os inventores começaram a explorar a ideia de movimento, concebendo diapositivos onde apareciam pequenas sequências de movimentos animados, geralmente num ciclo contínuo.


Em forma de viagem aos primórdios do cinema, os alunos começaram por construir um brinquedo muito simples que teve origem na era Vitoriana, o famoso taumatrópio. O mesmo consiste num disco com um desenho diferente em cada um dos lados e dois pedaços de fio atados em extremos opostos. Basta girar o disco para que os dois desenhos se fundam numa única imagem.


Houve ainda a oportunidade de constatar a magia da animação através de um zootrópio caseiro construído pela Professora Bibliotecária. Aqui basta dispor as imagens numa tira colocada num fundo de um tambor. Quando o tambor gira, e ao olhar através das ranhuras abertas a intervalos, é possível ver as imagens a movimentarem-se.

Para demonstrar como funciona a ilusão do movimento, os alunos aprenderam ainda a construir um livro animado ou “Flip Book”. Aqui a imagem muda ligeiramente de página para página numa sequência que vai do princípio ao fim.

Foi deveras agradável assistir ao encantamento das crianças que, ao deixar correr muito rapidamente as imagens, verificavam como as suas criações ganhavam movimento.





Numa fase posterior foi altura de os alunos serem animadores por um dia, começando para isso a perceber como se concebe e define o perfil de uma personagem que será a protagonista da nossa história.

Depois, para se contar uma história, é preciso definir muito bem os momentos essenciais, ou seja, a estrutura.



Para visualizarem a história e definirem os movimentos das personagens, os alunos recorreram à ajuda de uma ferramenta essencial em animação, o Storyboard.

Nesta etapa foram ainda discutidos alguns elementos técnicos como a Temporização, a Encenação, tipos de Planos, Ângulos de Câmera, a diferença entre Quadros-Chave – pontos de partida e de chegada de cada cena – e Quadros-Intermédios  desenhos que ligam a ação entre os Quadros-Chave –, e claro, a Montagem.

No segundo dia de Oficina foi altura de cada grupo filmar as suas cenas. Apesar de o cenário poder ser tudo o que nós quisermos, desde uma tela branca, uma cartolina preta ou mesmo um pano de cozinha, três grupos optaram por recorrer a cenários de um pequeno estúdio de animação.

Um outro grupo decidiu recorrer à Pixilação. A Pixilação consiste em usar atores humanos fotograma a fotograma, fazendo destes marionetas vivas de animação Stop-motion.

Nas suas animações os nossos realizadores procuraram ainda fazer recurso de outras Técnicas de Animação 2D, nomeadamente o uso de adereços, legendas, colagens, animação sobre quadros, efeitos especiais, uso de títulos e genéricos, criação de modelos em plasticina e ao chamado Morphing.  

Uma vez filmadas as cenas e descarregadas as imagens para o computador, foi altura de a Professora Bibliotecária dar início à "pós-produção" na “sala de montagem”. Depois de juntar as cenas foi preciso acrescentar-lhes sons, músicas e genéricos.

E eis chegada a "première", o momento  de os jovens realizadores apresentarem as suas obras-primas ao grande público. Apesar de alguns deslizes – dedos dos animadores que aparecem inadvertidamente ou molduras fora do enquadramento –, temos a certeza de que os nossos espetadores compensarão as falhas técnicas com a enorme ternura que se desprende destes pequenos filmes.


Esta atividade cumpriu claramente com uma das missões da Biblioteca Escolar que consiste na criação de contextos aprendentes, que integrem diversos recursos, despertando nos alunos o interesse e entusiasmo em adquirir novos saberes. 

E não esqueçamos que a animação, muito mais do que um saber, muito mais do que um mero entretenimento televisivo ou cinematográfico, é uma forma de arte em si mesma, celebrada em festivais de cinema em todo o mundo.


Cliquem nas imagens e conheçam os produtos resultantes desta Oficina de Cinema de Animação:

terça-feira, 19 de junho de 2018

AUDIO BOOK DO 1.º A DA EB1 D. CARLOS I

O trabalho apresentado foi realizado pela turma do 1ºA da EB D. Carlos I e é resultado de um projeto que abrangeu as áreas curriculares de Português, Estudo do Meio, TIC, e Expressão Plástica, relacionado com o projeto Sintra Cresce Saudável. A estória foi criada em grande grupo e os desenhos elaborados individualmente pelos alunos utilizado lápis de cor, de cera e canetas de filtro. Teve a colaboração da Professora Olga Tavares, a qual muito agradecemos.

Professora Dulce Ferreira



sexta-feira, 15 de junho de 2018

JARDIM DOS LIVROS NO ARRAIAL DA D. CARLOS I

No dia 15 de Junho de 2018, a BECRE participou mais uma vez no Arraial da EB D. Carlos I, desta vez com a atividade  O Jardim dos Livros

Para além dos teatros de fantoches apresentados de hora a hora, os visitantes puderam ler presencialmente obras em exposição ou ouvir ler em voz alta um dos seus livros prediletos. 

Destaque para o espetáculo com o boneco falante "As histórias do Galaró". Obrigada à Professora Joana Afonso por ter proporcionado aos nossos pequenos leitores momentos tão divertidos.